Terrorista que matou 49 em Nova Zelândia define-se como "Comunista maoísta" e ambientalista radical

Share:

Brenton Tarrant
Original de Henrique Ortz do Estudo Nacionais

No manifesto que publicou antes do massacre, o terrorista que matou 49 muçulmanos hoje (15/03/2019) na Nova Zelândia se descrevia como “eco-fascista” e afirmava ser o país por ele mais admirado a China.

 
“Quando eu era jovem, era comunista, depois anarquista e, finalmente, libertário, antes de me tornar eco-fascista.” Assim descreveu Brant Tarrant sua trajetória política. Tarrant também destacou que se considerava um “ecofascista por natureza”.
Massacre exterminou 49 pessoas inocentes
Em seguida, respondendo a pergunta “Você já foi ou é conservador?”, o assassino escreveu o seguinte: “Não, o conservadorismo é corporativismo disfarçado. Não tenho nada a ver com isso.”
Por fim, de forma peculiarmente sincera, ele também expressou admiração pela China comunista. “A nação com os valores políticos e sociais mais próximos da minha é a República Popular da China”.
Acompanharemos o uso político que a esquerda fará do episódio.

Fontes (Leia antes de papagaiar que é "fake news"):
http://estudosnacionais.com/mundo/terrorista-era-eco-fascista/?fbclid=IwAR2_n3n3KnTnZjfYKaPlaCgoFkc6LLxZnmUQOgUyav4hLSh06KiD3zfZy1Y

https://expresso.pt/internacional/2019-03-15-Quer-criar-uma-atmosfera-de-medo-e-escreveu-um-manifesto-de-74-paginas-Brenton-Tarrant-um-dos-suspeitos-do-massacre-na-Nova-Zelandia#gs.14pc6e

Nenhum comentário