A lista feminista: Por conter homens falsamente acusados de estupro, levou rapaz à morte

Share:
Agustín Muñoz foi vítima de listas falsas amplamente divulgadas pela média como certas...

Texto de Cléber Aurélio

Esse rapaz aí da foto se chamava Agustín Muñoz. Ele morava em Bariloche, era feminista, foi criado por mãe feminista e vivia cercado de amigxs feministas.

Aí, quando foi no fim do ano passado, ele foi participar de uma marcha feminista chamada "Nunca más solas, nunca más calladas" e, em certo momento, uma das ativistas começou a ler uma "lista de estupradores" e, para a surpresa dele, um dos nomes citados era o dele. O melhor de tudo: a moça que havia notado o seu nome na lista era uma "amiga" dele, frequentava sua casa e tudo (mais tarde, ela disse que tinha feito apenas uma brincadeira e que não imaginava que tomaria tais proporções).

A lista com o nome dele também começou a rolar nas redes sociais. Parece que era mais uma daquelas listas que as "manas" compartilham "para alertar as outras minas para que elas não corram perigo com supostos abusadores" (quase sempre sem nenhuma prova de que eles realmente fizeram algo).

O moleque começou a receber um monte de mensagem de ódio, claro. A "amiga" dele disse que ia falar a verdade e tentar fazer isso parar (parece que ele perdoou a "amiga" e acreditava que ela tinha feito aquilo porque foi "obrigada"). Mas, ao que parece, a lista tinha sido bem viralizada e ele continuou a ser esculachado por várias pessoas.

Enfim, o cara acabou cometendo suicídio no dia 22 de dezembro. A família diz que não sabe dizer se o ocorrido foi determinante para o suicídio dele porque ele sempre foi muito depressivo, mas que ele ficou visivelmente mais abalado depois do que aconteceu, não queria levantar da cama nem pra fazer higiene pessoal (imagine se isso não foi determinante, né?).

Enfim, só queria dizer que essas pessoas que dizem que nós vivemos em uma "sociedade patriarcal" em que homens "detêm privilégios às custas da repressão das mulheres", que eles são considerados sempre como "superiores" e que "a palavra deles sempre é mais levada a sério": eu desejo, do fundo do meu coração, que essas pessoas se fodam muito, mas muito mesmo, que elas tenham uma vida de merda e tomem muito no cu, pois é isso que elas merecem. E, para pessoas que compartilham essas listinhas (falsas) de "abusadores" com o nobre objetivo de "alertar outras minas": peguem sífilis!

Fontes:
https://www.perfil.com/noticias/policia/quien-era-agustin-munoz-chico-suicido-bariloche-falsa-acusacion-abuso-sexual.phtml

Nenhum comentário