Bill Maher: "Donald Trump só conseguiu ser eleito em um país que acredita que os quadrinhos são importantes"

Share:

Bill Maher, o comediante (cof, cof) actor e eleitor do partido Democrata Americano, ao tempo em que declara-se politicamente incorreto (se isto for possível para um esquerdista), destilou veneno contra Stan Lee. Basicamente, esperou o velho morrer para tal intento.


De todas as bobagens surreais do tipo, a que mais chocou-nos foi afirmar que um público intoxicado por SJWs, leitores de lixos da Marvel Pós-moderna, como All New All Different, possa ser maioritariamente, eleitor de Donald Trump. Esta é, sem dúvida, a opinião de alguém um bocadinho desconectado da realidade.

"O gajo que criou o Homem-Aranha e o Hulk morreu, e a América está de luto. Um profundo e profundo luto por um homem que inspirou milhões a, eu não sei, assistir a um filme, eu acho. Alguém no Reddit postou: “Eu sou tão incrivelmente grato que vivi em um mundo que incluía Stan Lee.” Pessoalmente, eu sou grato por viver em um mundo que incluía oxigénio e árvores, mas para cada um deles. Agora, eu não tenho nada contra os quadrinhos - eu os leio agora e então quando eu era criança e eu estava fora dos Hardy Boys. Mas a suposição que todos tinham naquela época, tanto os adultos quanto as crianças, era que os quadrinhos eram para crianças e, quando cresceste, passaste para livros de adultos sem as fotos.

Mas então, vinte anos atrás, algo aconteceu - os adultos decidiram que não precisavam desistir das coisas das crianças. E assim eles fingiram que as revistas em quadrinhos eram na verdade literatura sofisticada. E como a América tem mais de 4.500 faculdades - o que significa que precisamos de mais professores do que pessoas inteligentes - algumas pessoas burras se tornaram professoras escrevendo teses com títulos como Otherness e Heterodoxy no Silver Surfer. E agora, quando os adultos são forçados a fazer coisas adultas, como comprar um seguro de automóvel, chamam isso de "adultério" e agem como se fosse uma luta gigantesca.

Eu não estou dizendo que necessariamente ficamos estúpidos. O Joe médio é mais inteligente em muitos aspectos do que ele estava, digamos, nos anos 1940, quando uma grande noite fora era assistir um curta de Três Patetas e um musical de Carmen Miranda. O problema é que estamos usando nosso conhecimento sobre coisas estúpidas. Eu não acho que seja um grande esforço sugerir que Donald Trump só poderia ser eleito em um país que acha que os quadrinhos são importantes."
Fonte: https://www.real-time-with-bill-maher-blog.com/index/2018/11/16/adulting

Nenhum comentário