Designers: feios, sujos e mal pagos.

Share:
Imgem: http://marktimemedia.com/designers-youre-artist-youre-translator/

Uma recente pesquisa da revista FORBES, mostrou que design é umas das profissões mais mal pagas do mercado. Sim! Eu já sabia disso e não estou surpreso. Não! A imprensa não está te enganando (como muitas vezes faz). É um fato da vida. Duro como uma queda de bicicleta no asfalto quente do meio-dia. O detalhe é que isso, caso você seja designer, é culpa sua, caro amigo. 
É culpa nossa (porque sou designer, também): Aceitamos trabalhar de graça, elaborar dezenas de peças gráficas que vão pro lixo (para o cliente escolher uma e descartar as outras 29 de 30), nos prostituímos em locais pouco ortodoxos, como 99freelas, freelancer.com etc. onde milhares de "sobrinhos do vizinho" amealham-se numa concorrência insana, oferecendo preços sub-humanos (pense em cobrar R$50,00 em um logo, que você sentirá o drama)... Aceitamos esse mundo "hiponga" e pagamos um preço alto demais, infelizmente.

Já sabemos o quanto o design é importante para uma empresa e instituição. Na maioria das vezes, organizar as informações visuais de modo agradável e funcional, respeitando as identidades institucionais, criando processos que transformem a experiência do usuário de um sistema (como um site, um aplicativo para smartphone, por exemplo) em algo muito melhor, pode ser a diferença que fará uma empresa ter sucesso no mercado. Imagine uma embalagem feia de um produto muito bom (como uma cerveja vendida numa lata que lembra uma embalagem de óleo), porém encalhado numa prateleira. Imagine se esta embalagem fosse atraente e funcional! Você só cobraria R$200 por esta solução que pode alavancar as vendas do produto? O mesmo valor oferecido por clientes em agências de "trabalho escravo", como 99freelas?

Eu só gostaria de dizer a alguns (na verdade, muitos) dos meus colegas designers: parem de fazer trabalho especulativo - aquele em que você oferece provas custosas e trabalhosas ao seu cliente, a custo ZERO absoluto, mesmo após dias de trabalho. Parem de dar bonificações a clientes que te pagam 3 vezes menos que o valor de mercado (e você ainda dá bônus ao cara? Tenha dó!). Se você foi contratado pra um job de um mês e o cliente requisitar mais um. COBRE por esse mês. Seja educado, explique ao seu cliente que esse é o valor de um profissional sério, trate-o com muita polidez, mas cobre! No final, sua atitude condescendente ajuda a criar um mercado moribundo, com valor profissional cada vez menor (não bastassem os sobrinhos do vizinho cobrando R$100 por um site, você ainda quer atirar uma pá de terra na profissão?).

Nesse ambiente tóxico, por que estudar processos criativos se você nunca terá retorno de seu tempo investido (e dinheiro também)? E os softwares? São baratinhos, não é mesmo? E os livros, um micro novo com 32GB de memória, um notebook, os cursos de atualização, um carro pra atender o cliente (ou você vai de bus?). Você acha que cobre tudo isso cobrando R$300 por uma marca? Pense bem: Por que um profissional estudaria design, se um funcionário do quiosque do McDonald's ganha mais? Não há desonra alguma em trabalhar no McDonald's. Mas é desonroso tratar nossa profissão, de nível superior com bacharelado, de modo tão desleixado e indulgente.
 

Nenhum comentário